Recebi as chaves! E agora?

Publicado em 11 de outubro de 2019 por Cristiane Buffon Formolo

Adquirir um imóvel é um passo importante, além da mudança geográfica, geralmente marca a transição de uma fase da vida para outra: envolve novos planos, novas rotinas, novos ares… Mas é preciso cuidado para não ruir o lado poético desse momento. Vamos nos concentrar na parte prática do processo e em algumas decisões que serão tomadas depois do recebimento das – tão esperadas – chaves!

Primeiramente, você precisará dedicar um tempo para combinar revestimentos que serão aplicados no piso e paredes nos ambientes molhados (banheiros, cozinha, lavanderia), e também para combiná-los com o piso e paredes dos demais espaços. Se a ideia é criar uma parede ‘diferente’, reserve umas semanas a mais para essa escolha. Embora cada cômodo tenha uma função distinta, vale lembrar que juntos constroem um mesmo lar, e assim, devem ter uma linguagem estética harmoniosa.

Para esconder vigas, tubulação hidrossanitária e elétrica aparentes no teto, o forro de gesso é o nosso aliado. Podemos aproveitá-lo para criar pontos de iluminação de efeito ou iluminação geral. E, também para mascarar os trilhos de cortina nas janelas (o que faz muita diferença no resultado final, principalmente se somados a iluminação indireta). É importante lembrar que para alguns estilos de décor não se fazem necessário, como nos projetos mais despojados com estilo industrial.

Se a construtora entregar o seu imóvel com revestimentos e gesso já executados é uma tarefa a menos para você, e, sua dedicação começará pela definição de layout. Um lar deve ser fluído, e as medidas dos elementos que o compõem são responsáveis por isso. Nesse momento é imprescindível analisar a área do seu imóvel de forma realista! Estofados, poltronas, eletrônicos e eletrodomésticos devem ter tamanhos proporcionais à área que ocupam. Não devemos criar ‘armadilhas’ para a circulação, ou seja, observe a metragem fundamental para trafegar entre os elementos móveis e construídos.

A iluminação deve ser planejada após a demarcação dos ambientes, e isso é outro capítulo que merece atenção. Ela deve atender a luminosidade necessária para o desenvolvimento de atividades específicas, como ler e cozinhar, por exemplo. Além disso, é responsável por evidenciar todos os pontos fortes da decoração ou o desnecessário. O que você quer evidenciar? Pense com carinho, sua resposta não poder ser “tudo”. Opte por luminárias pendentes apenas sobre superfícies como mesas e criados-mudos ou locais com pé direito duplo; use e abuse dos circuitos elétricos para criar diferentes possibilidades de cenários.

E quanto aos objetos decorativos? Essa é uma das dúvidas mais frequentes dos meus clientes. Quando a escolha é realizada sem o meu acompanhamento, sugiro peças de cores neutras, com diferentes acabamentos e materiais. Costumo optar por uma quantidade menor de artefatos robustos do que uma infinidade de artigos pequenos. Acredito que essa alternativa valoriza melhor as peças selecionadas e pode ser mais econômica.

A falta de atenção a esses pequenos detalhes pode frustrar o que você idealizou como desejável para o seu lar-doce-lar. Então, sugiro que você os avalie antes de organizar seu espaço. O ideal desde o momento da compra do imóvel, é que exista o auxílio de um profissional qualificado e com o qual se identifique, para tornar esse processo menos cansativo, mais rápido, assertivo e melhor financeiramente.

Cristiane Buffon Formolo

Designer de Interiores

(54) 98129 7476

cris.formolo@hotmail.com