Rodapés

Publicado em 23 de setembro de 2020 por ADI

O que são rodapés?

O rodapé é pouco percebido aos olhos leigos e, mesmo assim, faz total diferença nos acabamentos do ambiente. Mas afinal, para que serve um rodapé? Os rodapés têm basicamente três funções: proteger o revestimento das paredes contra a temida umidade, proteger as paredes contra impactos de objetos como, por exemplo, a vassoura e, possui função estética servindo como moldura dos cômodos.

Existe mais de um tipo de rodapé?

Sim, existem três principais tipos de rodapés:

Rodapé convencional: é o tipo mais utilizado de rodapé. Tem fácil instalação e possui menor custo. Nessa opção, o rodapé é sobreposto à parede, ficando saliente em relação a ela;

Embutido: fica totalmente nivelado com a parede, não possui saliência. O ponto forte desse tipo em relação ao rodapé convencional é que a possibilidade de acumular sujeira é bem baixa;

Invertido (ou com bunha): o rodapé invertido ou com bunha é o que apresenta maior custo e exige uma instalação mais cuidadosa e especializada. A instalação é feita a partir de uma cantoneira metálica embutida dentro da parede, criando um efeito de bunha entre piso e parede. Esse tipo de rodapé é bastante utilizado quando se deseja um efeito de que a parede está “flutuando” em relação ao piso.

De que materiais são feitos os rodapés?

Existem diversos materiais de rodapés no mercado. O rodapé convencional é feito normalmente de MDF, madeira natural, cerâmica e porcelanato. O gesso é apenas indicado para rodatetos, por se tratar de uma material menos resistente. Em áreas molhadas, devem ser utilizados materiais como cerâmica, porcelanato ou poliestireno. Já nos quartos e salas, a escolha pode ser feita de acordo com o estilo da decoração. E você, quais os tipos de rodapé que mais utiliza nos seus projetos?

Confira mais dicas de décor em nossas redes sociais.

Imagens reprodução Pinterest.